“As mulheres portuguesas ainda se sentem desconfortáveis para falarem livremente sobre sexo”

Judite Carreira publicou a sua primeira coletânea poética no passado mês de julho, pela Capital Books. Intitulada “Palavras Ousadas de Ju”, esta é uma coleção de poesia erótica, profusamente ilustrada com sugestivas imagens e onde perpassam o amor, o desejo e a volúpia. Esta obra nasceu da página homónima no Facebook, que começou como um simples devaneio e evoluiu para um sólido projeto de literatura poética.

Judite Carreira

Judite Carreira, quem é a mulher que se esconde atrás do pseudónimo Ju?

Nasci em 1971, em França e vivo agora em Leiria. Sou funcionária pública, divorciada e mãe de um adolescente espetacular. Defino-me como uma batalhadora, uma mulher com m grande, empenhada em tudo o que me proponho e mãe 24 horas por dia. Quando a noite chega e o silêncio se instala, a Ju é a sonhadora, a amante e a ousadia em pessoa. A autora, nasceu há pouco tempo, após um desgosto amoroso, num desassossego de alma incompreendida. Adoro ler, sempre quis escrever, mas só agora me atrevi. Nas horas vagas, rabisco poemas. Tentei antes escrever, quando era mais nova, mas olhava para os meus textos e achava que não prestavam. Apesar disso, participei em algumas publicações pontuais, em duas coletâneas. Agora com 44 anos e alguma maturidade, surgiu a vontade de traduzir o que me ía na alma. Por vezes, histórias reais, outras imaginárias, mas sempre espicaçando quem me lê.

As suas palavras ousadas escancaram tabus sobre o amor, o erotismo e o sexo. De onde vem esta força?

Que seria de nós sem o amor, o erotismo e o sexo? Sempre me senti à vontade para falar sobre estes temas, sempre me interessei por eles e gosto de provocar. Diverte-me brincar, seduzir e espicaçar o leitor e o feedback tem sido bastante positivo, tanto por parte dos homens, como das mulheres. Num registo atrevido e levemente pornográfico, abordo subtilmente o tema do sexo com amor: abordá-lo descaradamente iria ferir mentes mais conservadoras. Apraz-me abanar um pouco a demência sexual, sem contudo chocar os leitores.

Continuar a ler

Anúncios