“Eu estou destinado a escrever”

Fábio Pinto é um jovem de 25 anos, que nasceu em Valença do Douro. Publicou recentemente, pela Capital Books, a obra “Palavras que desejei dizer-te”. Enquanto se muda para Mirandela, para estudar ciências da comunicação, este autor prepara um novo trabalho, um romance que já tem nome: “Entre o inferno e o paraíso”.

Fábio Pinto

“Palavras que desejei dizer-te” foi lançado há poucos meses atrás, como foi recebido pelos leitores?

Até agora está a correr melhor do que alguma vez poderia ter imaginado! Fiquei verdadeiramente entusiasmado com a receção e os comentários dos leitores.

Este título retratava um amor não correspondido, num raro exercício de transparência pessoal. Foi preciso coragem para o publicar?

Sim, foi preciso muita coragem, bem como a certeza que seria o certo a fazer. Todos vivemos um amor, uma paixão que nos marca e, por mais que queiramos esquecer, é impossível. Foi um amor correspondido até ao dia em que acabou. Muitas coisas foram ditas, mas ficaram tantas palavras por dizer. Foi um amor que transcendeu a loucura, onde o prazer e o amor se tornaram um só. Sem limites, a não ser o de saciar o desejo. Toda a gente tem uma cicatriz que carrega durante a vida, a minha é esta. Daí surgiu o livro “Palavras que desejei dizer-te”, o meu diário inacabado da minha história de amor acabada. Surgirá ainda um segundo volume, “Suspiros de paixão ” como podem ler no meu blog, os novos textos por lá publicados serão a continuação deste título.

Continuar a ler

Fábio Pinto apresenta “Palavras que desejei dizer-te” no domingo

reportagem - Fábio Pinto - geração Arte

Fábio Pinto apresenta o seu novo livro “Palavras que desejei dizer-te” – numa edição da Capital Books – no próximo domingo, 30 de agosto, pelas 16h00, na escola básica de Valença do Douro. “Porque amar desta forma não destrói nem mata, mas consome-me” é o mote desta coletânea poética, de um jovem autor que se exprime através de uma poesia temerária e vigorosa. Uma história de amor desencantado, que provocou uma torrente de sentimentos que Fábio Pinto só redimiu com esta escrita apaixonada.

Fábio Pinto