“As provações por que passei em Turim foram muito grandes”

Lina Raposo Vaz era estudante universitária quando decidiu terminar o seu curso de sociologia em Turim, ao abrigo do programa Erasmus. Mas as peripécias e dificuldades que viveu então em Itália foram tantas que, sete anos depois de regressar a Portugal, lançou uma empresa para ajudar todos os que embarcam na mesma proeza. “Brave and Smart – uma aventura chamada Erasmus” é o primeiro livro desta autora e trata-se de um relato divertido de tudo o que Lina viveu e aprendeu no seu ano de Erasmus.

Lina Raposo Vaz

De onde surgiu a ideia de escrever este “Brave and Smart”?

No final do meu Erasmus, uma grande amiga e a quem fui enviando emails durante a minha permanência em Turim, sugeriu-me a ideia de publicar esses emails. Mas na altura, a ideia pareceu-me extravagante, afinal de contas, era apenas eu e a minha história. Passados sete anos, a minha irmã ligou-me uma noite, a perguntar-me o que achava de ela ir fazer Erasmus. Ela ainda não sabia qual dos três destinos possíveis escolher, e respondi que teríamos que verificar ao pormenor todos os “prós e contras”, para que fosse tudo bem planeado e se reduzissem os percalços. Fiquei com a função de verificar isso tudo, mas tinha pouco mais de um dia e meio para o fazer. Com o trabalho e tudo o resto, foi impossível chegar a alguma conclusão e ela acabou por desistir. Fiquei absolutamente irritada. Dizer “não” à minha irmã, a algo que ela queria muito fazer, por falta de tempo para encontrar toda a informação necessária, era inconcebível. Passados sete anos do meu Erasmus, as dificuldades eram as mesmas! Tinha que existir algum espaço, serviço online ou físico, onde estivessem disponíveis todas as informações necessárias para fazer uma mudança assim de país. Procurei, procurei, procurei, mas era tudo muito turístico e a informação sobre Erasmus continuava muito dispersa em dezenas de sites. Então, se não existe, porque não criar esse espaço e serviço? A “Brave and Smart” começou a ganhar forma, a ganhar uma equipa, mas como poderíamos convencer a vir ter connosco as pessoas que pensam ir viver, trabalhar, estudar para fora do país, que pretendem fazer uma mudança a médio-longo prazo? Como poderíamos convencê-las de que sabemos o que é preciso saber, que sabemos como fazer um bom planeamento dessa mudança, que informação procurar. A resposta surgiu naturalmente: contar a minha experiência. Mostrar porque sei o que é necessário saber e fazer antes e depois da mudança.

A experiência em Turim foi mesmo marcante… tem saudades?

Tudo o que nos marca, deixa algo em nós. A cidade era bonita e, passados os momentos iniciais da adaptação, acaba-se por gostar dela. Saudades, não diria. As provações por que passei em Turim foram muito grandes, também foi uma fase complicada para quem me era querido e ficara em Portugal, além de ter sido uma fase de dura reconstrução do meu “eu”. Mas gostava de voltar a visitar a cidade e rever alguns lugares e pessoas.

Continuar a ler